15/07/2021

Estudo aponta recuperação do Turismo a partir de maio em SP

Maio foi considerado um mês de guinada e recuperação para o setor de Turismo e Eventos em São Paulo. Pelo menos é isso que indica o mais recente relatório do OTE (Observatório de Turismo e Eventos) da SPTuris. De acordo com o estudo, foi no quinto mês do ano que a região começou a mostrar sinais concretos de recuperação dos efeitos da pandemia, que ainda são presentes no setor. O transporte aéreo, por exemplo, cresceu 382,5% nos índices de movimentação nos três principais aeroportos do Estado, na comparação com o mesmo mês no ano passado.
 
O número de passageiros que embarcaram e desembarcaram em maio de 2021 em Guarulhos, Congonhas e Viracopos subiu, respectivamente, 62,8%, 37,3% e 15,0%, se comparados com o mês anterior. Essa mesma tendência se repetiu com a movimentação de aeronaves: o número de pousos e decolagens em maio de 2021 subiu, respectivamente, 251,9%, 206,4% e 161,3% se comparados com o mesmo mês de 2020 e 31,3%, 24,8% e 17,3% com relação ao mês anterior.
 
TRANSPORTE RODOVIÁRIO
O mesmo documento da OTE aponta que o fluxo de passageiros desembarcados nas rodoviárias paulistanas (Tietê, Barra Funda e Jabaquara) no mês de maio também cresceu: 238,1% se comparado com maio de 2020 e 35,7% com relação a abril de 2021. O acumulado do período de janeiro a maio de 2021 é 56,8% menor que o mesmo período de 2019 e 27,2% menor que o mesmo período de 2020.
 
A curva de queda no fluxo de passageiros desde o início do ano de 2021 inverte sua direção neste momento e aponta alta com relação aos dois meses anteriores, março e abril, sinalizando, segundo o estudo, a tendência de recuperação nas viagens domésticas e mais curtas.
 
MEIOS DE HOSPEDAGEM
Ainda de acordo com relatório, a taxa de ocupação dos hotéis no mês de maio de 2021 cresceu 252,3% em relação ao mesmo mês de 2020. “Apesar do número expressivo, devemos levar em conta que a ocupação em maio de 2020 foi a segunda pior do ano de início da pandemia e uma das mais baixas da série histórica acompanhada pelo OTE”, alertam os pesquisadores.
 
O valor da diária média dos hotéis cresceu 11,6% se comparado a maio de 2020 e foi 0,2% maior que em abril de 2021. Já os hostels apresentaram aumento de 29,9% na taxa de ocupação com relação a maio de 2020 e de 8,9% no comparativo com abril de 2021.
 
A diária média destes meios de hospedagem cresceu 105,3% em maio de 2021 comparado com o mesmo mês de 2020 e 15,9% entre maio e abril de 2021.
 
IMAT-SP
Outro indicador que consta no relatório é o IMAT-SP, que é um índice formado por cinco variáveis: faturamento das empresas turísticas, taxa de ocupação dos hotéis, estoque de empregos, movimentação em aeroportos e movimentação em rodoviárias. Considerando todos esses aspectos, o IMAT-SP de maio de 2021 ficou em 46,9, registrando crescimento mensal de 21,8% e encerrando o ciclo de quatro quedas.
 
Quando comparado com o mesmo mês de 2020, a atividade do setor na capital paulista está 68,9% maior. “Apesar de o índice apontar um sinal positivo para os empresários do turismo, ainda é cedo para comemorar, visto que maio de 2020 foi um dos momentos mais críticos da pandemia do coronavírus no ano passado e, portanto, a base de comparação fica bastante fragilizada”, considera o relatório.
 
“Embora a atividade atual do Turismo na capital esteja 20% abaixo do apurado no final do ano passado e 53% inferior do pré-pandemia, o início de recuperação é um ótimo sinal para os empresários, confirmando a tendência e possibilitando imaginar um cenário mais promissor”, finaliza.