09/03/2021

Turismo perde R$ 290 bilhões e 397 mil empregos desde o início da pandemia

O turismo brasileiro perdeu R$ 290,6 bilhões durante a pandemia. Os Estados de São Paulo (R$ 104,9 bilhões) e Rio de Janeiro (R$ 45,5 bilhões), principais focos da Covid-19 no Brasil, concentram mais da metade (51%) do prejuízo nacional. Os dados são da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), que calculou o tamanho do prejuízo do setor nos últimos 12 meses (de março de 2020 a fevereiro de 2021).
 
Segundo as estatísticas mais recentes do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), apurado mensalmente pela Secretaria do Trabalho, em 2020, foram eliminados 397 mil postos formais de trabalho no setor – o equivalente a um encolhimento de 12,8% da força de trabalho do setor. Na média de todos os setores da economia, a variação relativa no estoque de pessoas formalmente ocupadas avançou 0,4%
 
Os dados de emprego do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostram que, em 2020, 397 mil postos formais de trabalho foram eliminados no setor, o que representa uma queda de 12,8% na força de trabalho dessas atividades. “Na média de todos os setores da economia, a variação relativa ao estoque de pessoas formalmente ocupadas avançou 0,4%, o que reforça o contraste do turismo com os demais segmentos”, ressalta Fabio Bentes, economista da CNC.
 
Atualmente, o Turismo brasileiro opera com 42% da sua capacidade mensal de geração de receitas. O Estado de São Paulo se destaca em termos absolutos, respondendo por 36% das perdas registradas até o momento e também em termos relativos com retração de 38% no volume de receitas turísticas. Neste quesito, seguem as retrações reais de receitas registradas no Ceará (-32%), em Minas Gerais (-32%) e no Rio de Janeiro (-30%).
 
CNC projeta que o turismo apresente avanço médio de 14,6% no primeiro semestre deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado, recuperando apenas parcialmente a perda de 37% ocorrida em 2020
 
Com base na Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) de janeiro de 2021, divulgada nesta terça-feira (9/3) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a CNC projeta que o turismo apresente avanço médio de 14,6% no primeiro semestre deste ano, em relação ao mesmo período do ano passado, recuperando apenas parcialmente a perda de 37% ocorrida em 2020. Segundo a PMS, as atividades turísticas cresceram 0,7% em janeiro de 2021, após registrar crescimento nulo em dezembro.”